domingo, 21 de junho de 2009

O Amuleto de Hades

Já era meia-noite quando o casal de namorados Lidya e Erick, pulam o muro do cemitério, a noite é fria e a grande lua cheia brilha intensamente no energizado céu estrelado.

Olhando para o céu é possível ver algumas constelações, mas o casal não queria ir até o cemitério apenas para admirar estrelas ou qualquer outra coisa mágica que jazia naquela noite.

Seus planos eram outros...

Lidya, uma garota de 16 anos, branca, longos cabelos loiros e anelados, nesta noite ela usa botas negras com adereços de metal, uma curta saia negra que permite-se contemplar tuas belas e torneadas pernas e coxas. Ela também usa uma camisa negra com um pentagrama estampado na frente, um bracelete de couro em cada braço com adereços de metal e lantejoulas. Em seus dedos vários anéis de aspecto sinistros e horrendos.

Em sua bela e delicada face um brilho de poder e desejo.

Um lindo brilho rosa dava a seus lábios um tom feminino e sensual.

Em seus lindos olhos verdes jazia um brilho provocante e ao mesmo tempo melancólico.

Ela também usava sombra, deixando sua expressão sombria, mas sem perder a delicadeza e o seu charme.

O brilho da grande lua cheia dava a Lidya um brilho especial, é como se sua beleza brilhasse intensamente entre o céu e a terra.

Já seu namorado Erick, um garoto de 19 anos, branco, longos cabelos negros e lisos, nesta noite ele usa botas negras com adereços de metal, uma calça de couro negra que permitia ver nitidamente o contorno de seus músculos das pernas e das coxas. Ele também usava uma camisa negra com um pentagrama estampado na frente, um bracelete de couro com adereços de metal em cada braço, e em suas mãos uma luva negra lhe ocultava as mãos.

Em sua face refletia uma expressão calma e delicada.

Seus lábios levemente brilhantes e de uma cor avermelhada e sensual.

Seus olhos parecem ser o leito de um lago que refletem o brilho da energizada lua cheia em meio às estrelas brilhantes no céu. Para completar seu visual sombrio e sensual, ele usa um lenço negro em sua cabeça, no lenço há vários desenhos de caveiras.

Erick ainda carregava em suas costas uma mochila, esta também da cor negra.

Então o casal que transparecia todo o seu amor e paixão começou a se beijar. Mas aquilo era mais que um beijo, eles estavam mais unidos.

Era como se seus olhos fossem as janelas de suas almas, e suas bocas fossem as portas, e assim naqueles calorosos e apaixonado beijos era como se suas almas se encontrassem e desfrutassem junto este amor energizado de prazer e calor.

Após um longo e prazeroso beijo, eles decidem por fim limitarem-se a seus afazeres; realizar uma espécie de ritual de magia negra, para evocar espíritos diabólicos de demônios e espectros.

Esvaziando a mochila que Erick carregava, eles preparam o cenário para o ritual; um longo pano preto também com a figura do penta grama estampado é forrado sobre o chão, nas quatro pontas do pano são colocadas 4 velas, 2 negras e 2 vermelhas.

Após acenderem as quatro velas, eles começam a ler um livro, grosso, pesado, de capa preta e a mesma imagem do penta grama na capa.

Lidya e Erick lendo o livro juntos e em voz alta, eles diziam: “Ó senhor do vale das sombras, espectro guardião do mundo das trevas, vós que sois Minos, um dos três titãs do império de sua majestade Hades Samma. Nós vos envocamos nesta hora morta, pois precisamos de vossa majestade.”

Após alguns breves segundos de total silêncio, eis que emerge-se das trevas um ser sombrio, envolvido em um forte cheiro de enxofre, a face submersa em trevas e as órbitas vermelhas e de um diabólico e forte brilho.

Que era aquilo senão a própria imagem do demônio?!

Os jovens ficaram trêmulos e completamente tomado pelo horror, eles estavam a mercê daquele ser pavoroso e sombrio.

– Minos!? Proferiu por fim Erick com um certo espanto e medo.

Por fim aquele ser diabólico e sobretudo mistérioso disse: – Sim. Eu sou Minos, um dos três titãs do mundo das trevas. Eu fui guiado até aqui através de teus chamados, então digam o que vocês querem de mim!

Após ouvir aquela estridente e majestosa voz de Minos, Lidya levantou-se e disse: – Nós te envocamos pois só você pode nós dar o amuleto do mundo das trevas, conhecido como “amuleto de Hades”, para que assim possamos ter nossos desejos realizados.

– Então é isso... – Começou Minos enquanto olhava fixamente os dois jovens, que agora estavam sentados meio aos túmulos. Está bem, pegue! – Disse Minos jogando um punhal de uma cor roxa e brilhante nas mãos de Lidya. Esta o pegou, empunhando-o firmimente.

– O que é isso? Um punhal? – Perguntou Lidya muito surpresa.

– Para que ê esse punhal? – Perguntou também Erick muito surpreso.

Então Minos respondeu: – Em troca do poderoso amuleto de Hades é preciso ser realizado um sacrifício humano. Esta é a regra imposta por vossa majestade Hades Samma.

– Mas o quê?! um sacrifício?! Eu não vou matar ninguém. – Protestou severamente Erick, levantando e encarando Minos.

Este lhe respondeu friamente: – Acalme-se. Você não vai precisar matar ninguém, sua namorada o fará. Não é Lidya?

– Sim. – Respondeu Lidya com um tom de voz profundo e um olhar diabólico e em seguida endagada do punhal que recebera de Minos, a garota começou a perfurar Erick pela retaguarda, até que este tombou-se sobre o chão, já morto.

Parada com o punhal ainda endagado e pingando o sangue ainda quente de Erick, os seus olhos que haviam sido tomados por um vermelho malígno, agora voltaram ao normal e se encheram de lágrimas.

– Meu Deus! O que é que eu fiz? Eu não queria matar o Erick, eu o amo tanto... Minos seu desgraçado, foi você que me fez matá-lo? Não foi? – Perguntou aos gritos e choros Lidya.

– Eu não enganei vocês seus tolos, era preciso realmente um sacrifício humano em troca do amuleto de Hades. Então aqui está. – Disse Minos e depois lhe entregou o amuleto de Hades.

Um amuleto de uma cor roxa e brilhante, com uma face estampada semelhante a de um dragão, e escrito “YOURS EVER”, que significa “ETERNAMENTE SUA”.

– Mas de que me adianta ter este amuleto se não tenho mais aquele que eu tanto amo que é o Erick? – Perguntou Lidya profundamente magoada e triste, enquanto segurava o corpo ensanguentado de Erick em seus braços.

Já virado de costa para a Lidya e se preparando para retornar ao mundo das trevas, Minos disse, num tom de voz calmo e profundo, quase sussurrando: – Lembre-se, este é o amuleto de Hades, que foi feito com as sapuris, o diamante do mundo das trevas e têm o poder de realizar desejos a seu possuidor, assim sendo ele também pode devolver a vida aos mortos.

6 comentários:

  1. ãh, valeu ! :)
    não, não gosto ! :)

    ResponderExcluir
  2. eu amei eu adoreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei

    ResponderExcluir
  3. hades,deus do mundo inferior deixo meros mortais entrarem em seu mundo

    ResponderExcluir